Meu humor



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, TAQUARITINGA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Esportes, Dinheiro
Outro -




Arquivos

Categorias
Todas as mensagens
 Oportunidades de Negócios

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Central de Informações Empresariais
 UOL - O melhor conteúdo
 Blog Gestor de Negócios
 SEBRAE-SP




Gestor de Oportunidades
 


Por que (não) permitir nas empresas as Redes Sociais.

 

Puxe seu No(e)tebook para mais perto.

Vamos trocar um pouco os nossos conhecimentos.

 

Muitas empresas brasileiras, 55% delas para ser mais exato, bloqueiam a utilização das redes sociais para os seus empregados, por vários motivos, segundo pesquisa realizada pela Consultoria de RH Manpower, como:

ü  Prejudica a produtividade (77% das empresas)

ü  Precaução para a proteção dos negócios (32% das empresas)

ü  Pode prejudicar a imagem corporativa (19% das empresas)

 

Podemos até afirmar que um computador sem acesso à Internet simplesmente não tem razão de existir, passa a ser uma máquina obsoleta e sem graça.

Mas nem todos os computadores devem estar conectados à Internet, pois o seu uso está dirigido exclusivamente aos processos do negócio.

Nesta relação de computadores espartanos estão os de frente de loja, ponto de venda (PDV), nas linhas de produção, atendimento ao público, etc..

Porém, todas as outras máquinas que se encontram atrás das linhas de frente, e são utilizados pelo pessoal administrativo, financeiro, recursos humanos, logística e outras áreas de apoio, como o próprio setor de tecnologia da informação e comunicação, podem ter a liberdade de acesso à Internet e suas redes sociais.

Afinal, são estes colaboradores e suas conexões com o mundo, que proporcionam as condições necessárias para o ambiente de inovação e a imprescindível interação com os mercados.

Algumas redes sociais no Brasil tornaram-se pontos de encontro pessoais, como o MySpace, MSN-Messenger, Facebook, o Orkut, mas outras são os verdadeiros oásis mercadológicos, como por exemplo, o Twitter e as comunidades de negócios do Orkut, além dos Blogs e Fotoblogs, que desafiam o poder hierárquico das organizações.

Liberar o acesso às Redes Sociais, para aqueles que têm um tempo ocioso na empresa, como um período de desapego funcional, e também tenham responsabilidade e comprometimento com a empresa, pode representar maiores ganhos de produtividade para o negócio.

Por outro lado, o bloqueio parcial ou total às Redes Sociais impõe a censura cultural e ao conhecimento corporativo, que acaba por afastar a empresa das ondas de informações e relações interpessoais e comerciais.

     

Autor

Jorge Luiz da Rocha Pereira

jorgementor@uol.com.br



Escrito por Jorge Luiz da Rocha Pereira às 14h52
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]